Normas e critérios

NORMAS E CRITÉRIOS DE PARTICIPAÇÃO DO EXPOSITOR COMERCIAL (compra de estande)

1. CRITÉRIOS DE PARTICIPAÇÃO;

1.1. Artesão: estar cadastrado e possuir a carteira de artesão do SICAB – Sistema de informações cadastrais do artesanato brasileiro dentro da validade; OU apresentar outro documento que comprove suas habilidades ou seu mérito. 
1.2. Empreendedor de Economia Solidária: Ser identificado como Empreendimento de Economia Solidária pelo Conselho Estadual de Economia Solidaria - CEES e ou pelo Fórum Estadual de Economia Solidaria – FEPES
1.3. MEI – MPE – EPP – ME: Apresentação do CNPJ. 
1.4. Artista Plástico: ter comprovação acadêmica ou reconhecimento notório da arte que produz  
1.5. Não expor produtos industrializados;
1.6. Inserir 02 fotografias dos produtos a serem expostos na ArteSanto (anexar ficha Inscrição)
1.7. Expor produtos que se enquadrem nas classificações abaixo:
 
2. CLASSIFICAÇÃO DOS PRODUTOS;
2.1. Arte Popular 
2.2. Artesanato Tradicional 
2.3. Artesanato Contemporâneo/Conceitual
2.4. Artes Plásticas 
2.5. Trabalho Manual ou Semi manual
2.6. Artesanato Indígena
2.7. Artesanato ou Produto de Reciclagem
2.8. Artesanato ou Produto de Referência Cultural
2.9. Produtos do Agro Turismo
2.10. Produtos da Economia Solidária  
2.11. Alimentos e Bebidas
2.12.    Perfumaria
2.13.    Saúde

2.1. Arte Popular: Peças que representam a cultura do local a partir da visão de mundo do autor. São em geral peças únicas ou com produção reduzida e muitas vezes, utilizada como referência ou inspiração para outras produções. Ex.: casacas.  
2.2. Artesanato Tradicional: Peças que representam os modos de fazer e histórias do local, transmitidos de geração em geração. A produção pode ser partilhada por uma família ou vizinhança, alcançando maiores tiragens. As peças são feitas manualmente ou com a utilização de maquinário que não supera a habilidade manual. As matérias-primas são geralmente de origem local.  Ex.: rendas, cerâmica, talhas, cestaria.
2.3. Artesanato Contemporâneo/Conceitual: Objetos produzidos por pessoas com alguma formação artística e geralmente ligado a centros urbanos, resultante de um projeto deliberado de afirmação de um estilo de vida ou afinidade cultural. A inovação é o elemento principal que distingue este artesanato das demais classificações. Nesta classificação existe uma afirmação sobre estilos de vida e valores.
2.4. Artes Plásticas: Peças que expressam a visão de mundo do autor com uma linguagem própria.  São únicas ou com produção reduzida. Podem ser empregadas na decoração e seu sentido principal é o da contemplação.  
2.5. Trabalhos Manuais:  Peças cuja produção exige destreza e habilidade, ainda que sejam utilizados moldes e padrões predefinidos.  A matéria-prima geralmente é industrializada, podendo passar ou não por um processo de transformação. Ex.: bordados, customizações
2.6. Artesanato Indígena: Entendido como o resultado do trabalho de uma comunidade indígena, onde se identifica o valor de uso, a relação social desta comunidade. É em sua maioria, resultante de uma produção coletiva, incorporada ao cotidiano de vida tribal.  Ex.: Colares, cocar          
2.7. Artesanato ou Produto de Reciclagem: É o resultado dos trabalhos produzidos a partir da utilização de matéria-prima que é reaproveitada. A produção do artesanato de reciclagem contribui para a diminuição da extração de recursos naturais, além de desenvolver a conscientização dos cidadãos a respeito de materiais que se destinariam ao lixo.
2.8. Artesanato de Referência Cultural: Produção artesanal decorrente do resgate ou da releitura de elementos culturais tradicionais nacionais ou estrangeiros assimilados, podendo se dar por meio da utilização da iconografia (símbolos e imagens) e/ou pelo emprego de técnicas tradicionais de artesanato que, somadas a inovações tecnológicas, dinamizam a produção sem, contudo, descaracterizar as referências culturais locais. 
2.9. Produtos do Agro Turismo: Alimentos e Bebidas: são produzidos a partir de matéria-prima regional em pequena escala. Compreendem produtos processados por métodos tradicionais e em regiões rurais ou de rota turística. Devem revelar identidade cultural e observar a legislação vigente que regulamenta a comercialização conforme o MAPA- Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e demais órgãos responsáveis.  
2.10. Economia Solidária: É o conjunto de atividades econômicas de produção, distribuição, consumo, poupança e crédito, organizada sob a forma de autogestão.  É formada por grupos produtivos informais, associações, cooperativas, clubes de troca, redes de produção e consumo, empresas recuperadas (auto gestionárias) entre outras, que realizam atividades de produção de bens, prestação de serviços, finanças solidarias, comércio justo e consumo solidário.
2.11. Alimentos e Bebidas: são produzidos a partir de matéria-prima regional em pequena escala. Compreendem produtos processados por métodos tradicionais. Devem revelar identidade cultural e observar a legislação vigente que regulamenta a comercialização conforme o MAPA- Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e demais órgãos responsáveis 
2.11. Perfumaria:  são os produtos produzidos em pequena escala e processados por métodos tradicionais. Deverá estar regularizado junto aos órgãos competentes e apresentar a documentação de aprovação e liberação para comercialização do produto.
2.12. Saúde: representam aparelhos de massagem, bolsas de compressa, ervas e pomadas com propriedades curativas, etc. Deverá estar regularizado junto aos órgãos competentes e apresentar a documentação de aprovação e liberação para comercialização do produto.

 

3. PONTUAÇÃO DAS PEÇAS
3.1. Referência à cultura popular - Inspiração nos elementos da cultura local, com utilização de técnicas e materiais da região. Peso 2
3.2. Consciência ambiental - Utilização de material reciclado e de aproveitamento de resíduos ou de outras formas de valorização do modo de vida sustentável. Peso 2
3.3. Qualidade estética do produto e acabamento da peça.  Peso 2
3.4. Inovação - Melhorias ou novos usos da matéria-prima e/ou do processo produtivo, da forma ou da funcionalidade que expressem a identidade local.  Peso 1  
3.5. Complexidade de execução - Número de etapas e nível de dificuldade para a produção da peça. Peso 1
3.6. Apresentação - Disponibilidade de material de suporte à venda do produto, como: uso de rótulo embalagem, etiqueta, tag, cartões de visita, folder, entre outros. Peso 1
3.7. Potencialidade de comercialização - Relação entre valor e qualidade da peça, compatível com as expectativas e o poder de compra do público-alvo do produto. Peso 1

 

4. CONSIDERAÇÕES GERAIS
4.1. Poderá a organização do evento e seus colaboradores alterar estas normas e critérios sem aviso prévio.
4.2. Caso o produto do artesão não se enquadre nos Critérios e Classificações aqui especificados, o artesão não participará do evento e caberá a organização avaliar a devolução do pagamento.
4.3. O preenchimento da Ficha de Pré Inscrição NÃO garante a participação na ArteSanto.
4.4. Após o preenchimento da Ficha de Pré-inscrição, o produto inscrito será analisado pela curadoria do Evento para aprovação.
4.5. A resposta da aprovação do produto inscrito do EXPOSITOR COMERCIAL será imediato e terá como garantia e comprovação o Contrato de Sublocação de Área assinado.

 

REV. JUL/22

FICHA PREENCHIDA, OS DOCUMENTOS DA INSCRIÇÃO  E AS FOTOS DAS PEÇAS DEVEM SER ENVIADAS PARA CONTATO@ARTESANTO.COM.BR